ACADÊMICOS PARTICIPAM DE PROCEDIMENTO CIRÚRGICO

Por Christiany Borba

Quarta-feira (24/05), alunos do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário – Unidesc e da Faculdade Icesp de Brasília acompanharam uma aula prática: a cirurgia em um equino.

A coordenadora no curso, Edilaine Sarlo Fernandes, explicou como ocorre esse tipo de procedimento e como deve ser tratado. “Abdômen agudo é uma enfermidade comum, multifatorial, caracterizado por uma dor abdominal aguda e intensa, acompanhada de sinais sistêmicos, que podem colocar o animal em risco de morte, sendo necessária uma intervenção médica, através de medicamentos ou ato cirúrgico”, conta.

Edilaine comentou também as causas da enfermidade. “A cólica nos equinos é caracterizada por alterações no aparelho digestório, e pode estar correlacionada com vários fatores, que vão, desde uma produção excessiva de gases no estômago, fermentação de alimentos, obstruções, e torções intestinais. Estas afecções podem levar a distúrbios circulatórios graves até o óbito”, disse.

Para a escolha correta do tratamento, “deve se basear na anamnese, sinais clínicos, testes laboratoriais, e líquido peritoneal. O êxito do tratamento está condicionado à eficácia clínica, na obtenção rápida de informações diagnósticas e ao tratamento imediato e preciso”, pontua a coordenadora.

Edilaine explicou que outro aspecto importante o qual deve ser considerado é a indicação de tratamento cirúrgico em regime de emergência. “Nos casos de grandes deslocamentos intestinais, ou devido a processos que promovam situações de estrangulamentos de alças ou de grandes troncos vasculares mesentéricos. O tratamento cirúrgico das crises de desconforto abdominal agudo, deve sempre ser encarado como uma opção dentro do arsenal terapêutico, nos casos em que a terapia conservadora não tenha produzido os resultados esperados”.

Apesar da celeridade do procedimento cirúrgico, a coordenadora do curso alerta para os cuidados. “Não se deve operar indiscriminadamente e muito menos se optar pela cirurgia precipitadamente. No entanto, não se deve esquecer que quanto mais precocemente o animal é operado, se portador de afecção de tratamento eminentemente cirúrgico maiores serão as chances de sobrevivência. Evite ultrapassar 6 a 8 horas de início da cólica para encaminhar o animal à cirurgia, pois algumas afecções, após este período, já produzem lesões de caráter irreversível, como nos casos de torções, vólvulos e deslocamentos com compromisso vascular acentuado”, finaliza.

O HOVET – Hospital-Escola Universitário do UNIDESC está preparado para realizar procedimentos cirúrgicos em animais de grande porte e conta com uma equipe de professores mestres e doutores.

Equipe HOVET:

Profa Edilaine Sarlo Fernandes (coordenadora HOVET)

Prof. Vitor Melotti

Prof. Guilherme Jacobina

Prof. Rodrigo França

Prof. Luiz Gustavo

A clínica funciona de 13h às 18h, de segunda a sexta-feira. Está localizada no endereço: Área Especial nº2, Parque Rio Branco – Valparaíso II. Telefone para contato: 3627-0250.

Agende uma consulta.

 

 

Comentários

comentários